34

O sistema de Estações Rodoviárias se fundamenta na inter-relação sócio-econômica de três elementos: empresa transportadora, usuário e um ponto de equilíbrio, controle e troca: a Estação Rodoviária. Este sistema, integrando os três elementos, permite desenvolver e controlar, dentro dos parâmetros das empresas transportadoras e usuários. Desta forma, são evitados problemas decorrentes da repressão da demanda, ao mesmo tempo em que é estimulado o desenvolvimento harmônico e racional do sistema.
A Estação Rodoviária, oferece uma alternativa que permite desenvolver o caráter público do transporte rodoviário de passageiros e controlar o crescimento racional do sistema. Evita assim, a ociosidade ou exploração comercial, no caso de uma oferta propositadamente insuficiente.

O Sistema de Estações Rodoviárias é viável a partir de duas condições básicas

1ª – investimento maciço na implantação e construção de terminais rodoviários, com recursos provenientes da iniciativa privada, estimulada pela ausência de investimentos do poder público no setor, e pela remuneração justa que o próprio poder público garante ao investidor.
2ª – cooperativismo dos custos de comercialização das empresas transportadoras que operam no terminal, estimulando assim a criação de pequenas e médias empresas, do tipo familiar. Apesar da baixa rentabilidade, essas linhas são indispensáveis à função social do transporte de passageiros.
No Sistema de Estações Rodoviárias, as passagens são emitidas através do terminal para todas as empresas transportadoras, evitando imobilizações desproporcionais, tanto de recursos humanos, quanto de recursos materiais.
Outra vantagem observada é que o passageiro escolhe não apenas o horário para a viagem, mas também a empresa que melhor atende às suas necessidades, através de um único contato com o emissor do bilhete de passagem do terminal. Estas situações são gratificantes e benéficas ao passageiro, como também estimulam as empresas a oferecerem um atendimento cada vez mais aprimorado e qualificado aos usuários do transporte coletivo intermunicipal.

Recursos Financeiros das Estações Rodoviárias

As Estações Rodoviárias são implantadas com recursos financeiros provenientes da iniciativa privada, seguindo as normas emanadas do poder concedente, no que se relaciona a projeto arquitetônico, dimensionamento, localização e regulamentação da operação.
O retorno do capital investido, assim como os recursos para a manutenção do terminal, originam-se da tarifa de embarque paga pelo usuário, o que corresponde a apenas 4% do valor total da passagem. O critério de porcentagem evita aumentos desproporcionais nas passagens de menor valor, as quais, pela sua importância social, se vêem subsidiadas pelos usuários das linhas de longo percurso.
O critério de comissão adotado para a comercialização permite que as empresas de pequeno porte ou com baixa freqüência possam também operar no terminal sem o menor prejuízo.
Quanto à Empresa Transportadora, esta remunera as Estações Rodoviárias com uma comissão correspondente a 11%, através da qual são pagas todas as despesas com emissão de bilhetes, recebimentos de numerários, prestação de contas, assim como a manutenção da infra-estrutura que possibilita a operação da Empresa Transportadora na Estação Rodoviária. Esta porcentagem de 11% é equivalente à comissão paga a qualquer agente, com a diferença que a Rodoviária, além de efetuar a comercialização, mantém ainda toda a infra-estrutura operacional.

Atuação do Poder Público no Sistema de Estações Rodoviárias

O poder público Departamento Autônomo de Estradas e Rodagem (DAER) é responsável pela liberação da implantação e construção das Estações Rodoviárias, sendo responsável também pela fiscalização e regulamentação dos serviços prestados pelos concessionários das Rodoviárias.

Aperfeiçoamento através do Sistema de Informática

O único meio viável para agilizar a venda de bilhetes de passagens intermunicipais e equilibrando o processo de comercialização é agilizar ao máximo o fluxo, simplificando e diminuindo o tempo consumido na operação. Essa meta foi alcançada pela Estação Rodoviária de Porto Alegre e pelas Estações Rodoviárias de 1ª Categoria através da implantação do sistema de informática para a emissão e controle na venda de passagens.
Com a utilização do sistema de informática, todos os bilhetes de passagens são emitidos de acordo com o horário e a empresa, sendo os mesmos adquiridos pelos usuários através de um atendimento ágil e flexível, que permite o deslocamento de recursos humanos em função das necessidades momentâneas dos diferentes setores de comercialização. Desta forma, o tempo requerido para este processo sofre uma diminuição correspondente a mais de 70% do tempo normalmente consumido no atendimento ao passageiro.
O Sistema de Informática também agiliza os relatórios e extratos de prestação de contas das Estações Rodoviárias para as Empresas Transportadoras e para o Departamento Autônomo de Estradas e Rodagem (DAER), possibilitando simultaneamente a obtenção de dados precisos sobre o comportamento da relação de oferta e demanda.

Objetivos Sociais

O Sistema das Estações Rodoviárias esta compatibilizado com os objetivos sociais, políticos e econômicos do desenvolvimento brasileiro. Pelo seu próprio alcance sócio-econômico, pela infra-estrutura apresentada e por não exigir recursos do setor público, torna urgente e necessária sua sedimentação para que se possa oferecer um atendimento mais rápido e flexível, criando condições para que consideráveis parcelas da população recebam os benefícios de um verdadeiro serviço com qualidade e agilidade.
As Estações Rodoviárias são o ponto de equilíbrio econômico e um fator de progresso social que contribui decididamente na construção de uma relação mais humana e justa.